McGregor

05 Dezembro, 2006 at 11:46 pm 18 comentários

Deixo-vos aqui parte de um trabalho que ainda está a ser realizado mas que achei interessante colocar pela curiosidade da ainda aplicabilidade das concepções seguintes. O autor em questão fala sobre o nível de satisfação ou motivação de funcionários empresariais:

Douglas McGregor, na década de 50, apresenta duas teorias, teorias X e Y, abordagens que reflectem fenómenos históricos, culturais, económicos, tecnológicos e sociais, ainda usados em várias organizações. É evidente a presença destas possibilidades total ou parcialmente nas organizações.

As teorias X e Y mostram a possibilidade de gerir a produtividade humana nas organizações empresariais, assim como, visualizar o comportamento humano dentro das mesmas.

A teoria X representa o controlo existente sobre os recursos humanos da empresa. Segundo esta teoria, o ser humano, em geral, não gosta de trabalhar ou pretende trabalhar o mínimo possível, como tal, a grande parte dos trabalhadores têm que ser coagidos, vigiados e ameaçados com castigos a fim de alcançar os objectivos da empresa. Os empregados evitam responsabilidades, preferem ordens formais sempre que possível, exibem pouca ambição e põem a segurança acima de todos os factores associados ao trabalho.

A teoria Y evidencia o facto de que o desenvolvimento dos recursos humanos é muito mais optimizado e pode ser melhor aproveitado. Conforme esta teoria, quando num ambiente favorável, o trabalho pode ser algo natural e que suscita prazer. O indivíduo, movido pela auto-orientação e pelo auto-controlo, coloca-se ao serviço dos objectivos previstos dentro da empresa. Neste ambiente, um funcionário, quando aliciado com uma recompensa, empenha-se mais na realização da sua tarefa. A seu tempo, o funcionário deixa de estar apenas sob ordens e começa a procurar responsabilidades. Não se deve confundir esta teoria com liberdade excessiva ou falta de controlo, é apenas uma forma diferente de administrar os recursos humanos dentro do ambiente organizacional e muitas delas alcançam grande sucesso.

Para McGregor, se uma empresa adopta as concepções da teoria X, os seus funcionários apresentam-se desmotivados e com atitudes e comportamentos preguiçosos, por outro lado, se optar pela teoria Y, as pessoas vão interagir e apresentar características motivadoras.

Gerentes contemporâneos confrontados com as possibilidades de McGregor, afirmam que a teoria X é aquela utilizada pelos seus chefes para com eles e a teoria Y é aquela que utilizam para com os seus subordinados.

McGregor explica que quando existe desmotivação, acomodação, subutilização, inadaptação e desorientação, os gerentes em vez de admitirem ser os responsáveis por estes fenómenos, atribuem a culpa aos empregados.

Muitas das organizações que obtêm êxito, até a nível internacional, mostram-se influenciadas por fortes traços da teoria Y.

Apesar de muitas empresas se seguirem pelas conjecturas da teoria X revelando um nível baixo de satisfação dos seus colaboradores, é evidente também a presença da teoria Y noutras empresas, nas quais se verificam grandes resultados, maiores níveis de produção, desenvolvimento, e geração de resultados positivos. Em algumas organizações são utilizadas ambas as concepções.

Anúncios

Entry filed under: Sem categoria.

Psicologia online Pensem nisto…

18 comentários Add your own

  • 1. Oracle  |  06 Dezembro, 2006 às 12:28 am

    O uso dessa teoria X é uma caracteristica dos paises menos desenvolvidos, e penso que será uma consequência da falta de cultura social por parte dos patrões que pensam que pensam estar numa posição previligiada de manipulação e para coagir os seus funcionários a aceitarem baixos salários, más condições de trabalho, etc…

    Mas muitas vezes nem com incentivos os patrões vão lá. Depende muito na predisposição de um “povo” para o trabalho… e Portugal é uma país que parece ser alérgico ao trabalho!

    Responder
  • 2. susanacosta  |  06 Dezembro, 2006 às 10:26 am

    Ao contrário do que possas pensar, as características da teoria X não se aplicam só a países menos desenvolvidos, pelo contrário, é muito vulgar encontrar casos desses em países ditos civilizados e desenvolvidos…

    Vendo bem, até pode ser fácil detectar alguns desses aspectos nas empresas portuguesas. Os portugueses evitam sempre responsabilidades, é sempre mais fácil seguirmos ordens, fazermos o que nos mandam para nao termos que pensar mt (falo na 1ª pessoa porque falo de portugueses em geral,não keu seja assim:P).
    E além do mais, ao cumprirem ordens, não podem recair responsabilidades sobre os funcionários “obdientes”.

    E mesmo a nível universitário, muitos trabalham apenas sob pressão, fazendo tudo na última, desejando que os profs digam exactamente o que fazer para seguirem à risca o que dizem…

    É facil encontrarmos ambientes que se apliquem a esta teoria, mas é obvio que para um rendimento e produção aceitáveis, é necessário que sejam notórias as duas teorias.

    Responder
  • 3. katiucia  |  02 Março, 2007 às 3:16 pm

    recebendo conceito…

    Responder
  • 4. joaozinho portugal  |  16 Agosto, 2007 às 6:57 pm

    a teoria x e a teoria y são muito extremistas!!! ou 8 ou 80!! e a vida não é assim! devemos considerar os fatores intermediários!

    Responder
  • 5. António Pedro  |  22 Setembro, 2007 às 1:12 pm

    Só vi este post hoje xD

    @oracle:
    Como a susana disse, não é característico apenas dos países menos desenvolvidos 🙂
    E quanto ao povo português, realmente parecemos ter uma predisposição para fazer o menos possível e criticar o mais que pudermos.

    @susana:
    Focaste um aspecto importante: a Universidade. Toda esta educação para a produtividade começa desde cedo, na escolinha, lol. Desde pequenos que somos estimulados apenas a seguir ordens… o ensino tem tido pouco de inovador e o pensamento original não é encorajado (na maior parte dos casos).
    Como tal, só queremos fazer a nossa parte e escapar ao resto. Depois isto continua quando somos adultos e trabalhamos.
    A culpa é das empresas (e até do ensino) que apostam numa relação curiosa, onde a automatização e despersonalização do trabalho predominam (muito embora o ensino tenha vindo a mudar, recentemente).

    Responder
  • 6. marcelo  |  03 Outubro, 2007 às 12:24 pm

    o que a teoria x e y de mcgregor acabou influenciando no controle de qualidade das empresas, que essas maneiras de trabalhar

    Responder
  • 7. Lincoln  |  11 Junho, 2008 às 7:57 pm

    Portugueses em geral são preguiçosos..

    Responder
  • 8. josué duarte  |  22 Junho, 2008 às 4:11 am

    Aqui no Brasil, os portugueses que aqui chegaram nos anos 1940 a 1970, sem exceção, assumiram a responsabilidade de se tornarem independentes, trabalharam muito e hoje não dependem mais de emprego: todos têm negócios dos quais vivem muito bem. Isto quer dizer que quando o português quer, ele não é acomodado. Além disso, temos que considerar que hoje a energia não é mais petróleo ou eletricidade, mas as pessoas. Se uma empresa não contar 100% com as pessoas que lá trabalham, ela não é nada.

    Responder
  • 9. Andre lima  |  06 Outubro, 2008 às 10:02 pm

    Por ser duas teorias antagônicas, a melhor maneira da organização lidar com ambas seria a conciliação entre ambas.

    Responder
  • 10. Rafaela araùjo  |  05 Dezembro, 2008 às 5:38 pm

    Essas teorias são apenas um demontrativo de como pode ser o comportamento humano nas organizações.Douglas McGregor contribuiu bastante para o desenvolvimento das demais teorias.Ele foi espetacular ao desenvolvê-las…

    Responder
  • 11. Vinícius Cezar  |  06 Maio, 2009 às 2:34 pm

    Se possível, preciso apresentar a Teoria X e estou tendo algumas dificuldades. Não há muito conteúdo e não queria fazer uma apresentação digamos, “baba”.

    Responder
    • 12. susanacosta  |  06 Maio, 2009 às 6:18 pm

      Olá,

      A informação que tenho e que arranjei aquando a publicação do post é a que está divulgada neste blog.

      Responder
  • 13. Sulanita  |  08 Maio, 2009 às 1:16 pm

    McGregor aponta a Teoria Y segundo a qual administrar é um processo de criar oportunidades e liberar potenciais rumo ao autodesenvolvimento das pessoas.

    Responder
  • 14. claudia oliveira  |  26 Maio, 2009 às 1:13 am

    as teorias são boas,mas devemos considerar a cultura de cada empresa, o contexto que sua equipe esta inserida. Olhando sempre a missão e visão da organização, para podemos ter aproveito das teorias x e y.

    Responder
  • 15. antonio rio de janeiro  |  16 Julho, 2009 às 8:52 pm

    Como brasileiro nato e filho de imigrantes portugueses, a idéia que tenho dos meus ancestrais lusitanos está associada a um povo muito, muito trabalhador. Minha referência são eles dois.

    Responder
  • 16. Cristiane Aparecida dos Santos Barbosa  |  19 Agosto, 2011 às 5:32 pm

    Eu trabalhava numa empresa onde o chefe se aproveitava de nossas idéias,e não nos dava a chance de crescer,se aproveitava ganhando o mérito as nossas custas.
    Nos manipulavam e controlavam como se fôssemos objetos descartáveis que quando apareciam pessoas com idéias diferentes eles nos deixavam de lado,sabe?
    Então hoje enfim,mudei de empresa e tenho a liberdade de expressar minhas idéias e estou crescendo pouco a pouco segundo minhas capacidades.Também adoto a teoria Y para as empresas.;

    Responder
  • 17. hilton jose da silva  |  20 Fevereiro, 2012 às 5:03 pm

    muito bom cara , gostei dessa explicação, abriu muito a minha mente sobre a teoria x e y, isso porque vc falou de maneira categórica e prática, obg, valeu mesmo!!!!!!!!!!

    Responder
  • 18. Katherine  |  27 Maio, 2013 às 12:01 am

    Terrific work! This is the type of info that are supposed to be shared
    across the internet. Disgrace on the search engines for now not positioning this
    post upper! Come on over and discuss with my website .
    Thanks =)

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Traduzir

Calendário

Dezembro 2006
D S T Q Q S S
« Nov   Jan »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

E-mail

Qualquer dica ou sugestão que tenham, assim como críticas ao blog, por favor enviem-me um E-mail para Enviar Mail

Visitas

  • 210,866 visitas

%d bloggers like this: